A dinâmica da cadeia produtiva do turismo tem início com o embarque do turista, no país de origem, e seu desembarque no destino onde consome os produtos e os serviços turísticos. Com as medidas internacionais de isolamento social e fechamento de fronteiras para conter a pandemia do novo coronavírus, a cadeia produtiva parou.

Para avaliar os impactos gerados no Amazonas, esta publicação apresenta os resultados da pesquisa RAIO X DO TURISMO FRENTE À COVID-19, aplicada com empresários do setor no período de 17 a 24 de abril, coordenada pela Rede Observatório de Turismo da Universidade do Estado do Amazonas, com parceria direta da Empresa Estadual de Turismo do Estado do Amazonas, Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos de Manaus e Rede Brasileira de Observatórios de Turismo.

No conjunto das atividades características do turismo (ACT´s), 4,4% dos prestadores de serviços que atuam no setor responderam à pesquisa. Manaus, principal portão de entrada do turista no destino Amazonas, no Mapa do Turismo Brasileiro classificada na categoria A, por concentrar em um raio de 200 km maior oferta em número de serviços turísticos, na pesquisa representou 77,3% das respostas; Tefé, 6,1%; Itacoatiara 4,5%; Rio Preto da Eva, 3%; Manacapuru, 3%; Iranduba, Parintins, Novo Airão e Barcelos, respectivamente, 1,5%.

Trata-se de um primeiro levantamento realizado e, com base nele, com o monitoramento de dados e informações alimentando os estudos, espera-se auxiliar o setor no breve retorno das atividades que movimentam a cadeia produtiva do turismo, com geração de emprego e renda no Amazonas.

Pesquisa disponível no link a seguir:
https://drive.google.com/file/d/1ciqx_pjhEQvyy7MB5ow6Z72y-gLrQWEg/view?usp=sharing


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *